conecte-se conosco


MATO GROSSO

Secretaria de Estado de Saúde alerta sobre nova cepa da dengue identificada em Mato Grosso

Publicados

em

Uma pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com o Laboratório Central de Mato Grosso (Lacen-MT), identificou a circulação da nova cepa da dengue em Mato Grosso, o genótipo do sorotipo II do vírus, mais conhecido como cosmopolita. 

A cepa cosmopolita está presente na Ásia, no Oriente Médio e na África. No Brasil, o primeiro caso foi registrado em Goiás e, em seguida, foram identificados casos em Mato Grosso do Sul, São Paulo e Mato Grosso.

No Estado, a análise foi feita pela equipe coordenada pelo pesquisador da Fiocruz, Luiz Carlos Júnior Alcântara, que recebeu, entre 05 e 10 de junho, 32 amostras com resultado positivo prévio para dengue. 

Após sequenciamento utilizando a metodologia de nanoporos, do total de amostras analisadas, 29 corresponderam ao tipo DENV-1 genótipo V, cepa mais comum no Estado, e três amostras corresponderam ao DENV-2 genótipo emergente de tipo II, a variante cosmopolita.

Os casos da variante cosmopolita são provenientes dos municípios de Cuiabá, Nortelândia e Sorriso. Para a pesquisa, também foram colhidos materiais nos municípios de Novo mundo, Nova Maringá, Santo Antônio do Leverger, Tangará da Serra, Lucas do Rio Verde, Nova Santa Helena, Água Boa e Nortelândia.

“Esta é a primeira detecção deste genótipo no estado e esse achado aponta para a necessidade de reforçarmos o monitoramento genômico desse patógeno emergente para compreendermos a sua difusão em Mato Grosso e no Brasil”, diz o pesquisador Luiz Carlos Júnior Alcântara, no relatório da pesquisa. 

Leia Também:  "Governo está construindo condições para que a educação de MT esteja entre as melhores do País", afirma governador

O secretário adjunto de Atenção e Vigilância em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), Juliano Melo, explica que, apesar da nova cepa ser mais transmissível que as variantes que já circulam no estado há anos, os cuidados preventivos a esse novo genótipo da dengue permanecem os mesmos já amplamente divulgados, como limpeza dos quintais. 

“Não existe uma vacina ou um medicamento preventivo à dengue. Para o enfrentamento da doença, é imprescindível que a população mantenha os cuidados diários, como certificar-se de que a caixa da água está devidamente tampada, assim como as lixeiras. Devemos ainda limpar as calhas e trocar areia dos vasos de planta semanalmente, além de preservar os ralos limpos e manter garrafas ou recipientes de boca para baixo”, reforça o gestor.

A diretora do Lacen-MT, Elaine Cristina Oliveira, alerta para a importância de os serviços básicos estarem preparados para o enfrentamento da doença, independentemente do genótipo dela. 

“É crucial assegurar que a limpeza urbana, realizada pelas prefeituras, e a limpeza individual, realizada pelos moradores, sejam diárias. É necessário também os municípios manterem a Atenção Básica atenta aos sintomas dos pacientes que chegam no pronto-atendimento”, pontua Elaine.

Leia Também:  Sema capacita policiais militares para o uso de tecnologia na fiscalização ambiental

Ações do Estado

A fim de combater e prevenir os casos de dengue no Estado, a SES-MT realiza oficinas de atualização em manejo clínico aos municípios que compreendem as 16 regionais de saúde de Mato Grosso. 

Paralelas às oficinas de atualização, a Secretaria também auxiliou os municípios na construção do Plano Regional e Municipal de Contingência as arboviroses dengue, zika e chikungunya e tem mantido a distribuição de insumos estratégicos, como inseticidas e larvicidas utilizados como medida complementar ao controle do vetor.

O órgão estadual ainda tem realizado controle de qualidade na identificação das larvas do Aedes, encontradas e coletadas nos municípios, além de cooperação técnica.

Sobre a dengue

O vírus da dengue é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti. O vírus possui quatro sorotipos e cada um pode ser subdividido em diversas linhagens. O genótipo II, cosmopolita, é uma das seis linhagens do sorotipo 2. A dengue, de modo geral, causa febre e náuseas, desidratação, dor abdominal, exantema (irritação da pele), dor de cabeça, dor retroorbital (dor ao redor dos olhos).

Além da dengue, o Aedes aegypti também é transmissor da Chikungunya e do Zika Vírus.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO

Com três usinas de energia solar fotovoltaica, Unemat economizará mais de meio milhão de reais por ano

Publicados

em

Por

 

(Foto: Acervo Ages Consultoria/Clailton G. de A. Júnior)


Os campi de Barra do Bugres, Tangará e Sinop, da Universidade Federal de Mato Grosso (Unemat), passaram a contar com usinas de energia solar fotovoltaica, cujo resultado positivo será a redução entre 20% e 40% (ou entre R$ 500 mil e R$ 700 mil anuais) em sua conta de energia elétrica.

Segundo o pró-reitor de Planejamento e Tecnologia da Informação, Luiz Fernando Ribeiro, a implantação de três usinas (uma em cada campus) teve custo zero, uma vez que a instituição de ensino superior foi selecionada, em 2020, pela concessionária de energia em Mato Grosso (Energisa) na Chamada Pública de Projetos (CPP), do Projeto de Eficiência Energética, que bancou o investimento de R$ 1,5 milhão.  

Em 2021, a Unemat foi novamente contemplada pela CPP, cujo resultado foi divulgado em fevereiro deste ano, desta vez com investimentos de R$ 2,5 milhões. Em fase de assinatura de contrato, outras duas usinas de energia solar fotovoltaica serão construídas nos campi de Alta Floresta e Pontes e Lacerda.      

Responsável pelo acompanhamento do Projeto de Eficiência Energética na Unemat, o professor e engenheiro eletricista Marcelo Gouveia Sebastião explica que, em linhas gerais, a proposta é substituir equipamento de baixa eficiência energética por outros mais eficientes.” No nosso caso, em energia fotovoltaica”.

Leia Também:  Mato Grosso recebeu 59,9 mil doses de vacinas contra a Covid-19

O planejamento da Unemat, em parceria com a concessionária estadual, é estender o Projeto de Eficiência Energética para todos os seus campi, submetendo novas propostas em editais futuros. “É bom lembrar que estas gerações ainda não produzirão energia para que nossas instalações passem a ser autossustentáveis, porque apenas uma parcela da energia será compensada. No entanto, o valor a ser economizada é significativo,” reforçou Gouveia.

O planejamento é estender o PEE a todos os câmpus submetendo novas propostas em editais futuros. “Lembrando que estas gerações não produzirão energia de forma que nossas instalações passem a ser autossustentáveis, apenas uma parcela da energia será compensada”, reforçou Gouveia.

   

Foto 01 – Unemat Campus Sinop                                                                                                                                                                              Foto 02 – Unemat, campus Tangará da Serra                                                                                                                                                            Foto 03 – Unemat, campus Barra do Bugres                                                                                                                                                              Acervo Ages Consultoria/Clailton G. de A. Júnior

Leia Também:  "Governo está construindo condições para que a educação de MT esteja entre as melhores do País", afirma governador

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

MATO GROSSO

POLICIAL

POLÍTICA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA

Add this code where the ad should appear:
Add this code before the tag: