Rosário Oeste

Quinta, 20 de Junho de 2024
23°

Tempo limpo

Rosário Oeste, MT

POLÍTICA FAKE NEWS

Políticos de MT são campeões em divulgação de fake news

Dos 28 políticos identificados como disseminadores de desinformação, 17 utilizaram recursos públicos para impulsionar postagens com o objetivo de aumentar alcance e engajamento

08/06/2024 às 08h46
Por: Página1 Fonte: Fonte: Gazeta Digital
Compartilhe:
Reprodução
Reprodução

Mato Grosso lidera a lista de estados com o maior número de políticos que disseminam desinformação, segundo o projeto Amazônia Livre de Fake. No total, são 14 políticos, entre deputados estaduais, federais e senadores. O estado também é campeão em postagens, com 101 ocorrências registradas entre 2023-2024. Dois desses políticos estão no top 6 da lista.

A campanha Político Desinformante, resultante da pesquisa, destacou figuras públicas que violam o direito à comunicação, com um ranking baseado na recorrência de desinformação, financiamento desses conteúdos e práticas de discurso de ódio. O Top 6 inclui Plínio Valério (PSDB/AM), Fausto Jr. (União Brasil/AM), Delegado Caveira (PL/PA), Amália Barros (PL/MT), in memorian, Eder Mauro (PL/PA) e Abílio Brunini (PL/MT).

Entre os políticos de Mato Grosso monitorados, além de Abílio Brunini e Amália Barros, estão Coronel Assis (União Brasil), Coronel Fernanda (PL), José Medeiros (PL) e os senadores Jayme Campos (União), Margareth Buzetti (PSD), e Wellington Fagundes (PL). Também citados o governador Mauro Mendes (União) e os deputados estaduais Cláudio Ferreira (PL), Gilberto Catani (PL), Janaina Riva (MDB) e Júlio Campos (União).

Dos 28 políticos identificados como disseminadores de desinformação, 17 utilizaram recursos públicos para impulsionar postagens com o objetivo de aumentar alcance e engajamento, segundo o Intervozes. Após analisar 195 anúncios mencionando questões socioambientais, 68 (35%) continham desinformação, com R$ 13 mil em recursos públicos investidos e 4,7 milhões de impressões geradas. Apesar de o valor parecer pequeno, o impacto dessas desinformações é significativo, aponta o estudo.

Na etapa atual do projeto, foram estudados Amazonas, Mato Grosso e Pará para identificar as estratégias de produção, disseminação e orquestração de desinformação socioambiental. O levantamento afirma que períodos críticos de disseminação de desinformação coincidem com momentos de grande relevância política, como a abertura de comissões parlamentares de inquérito ou a apresentação de projetos de lei. Um exemplo é o projeto de lei 4.183/23 do deputado Coronel Assis, que visa atingir o MST, exigindo a criação de CNPJ para responsabilizações, destaca o levantamento do Intervozes com a parceria do Instituto Centro e Vida.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias