conecte-se conosco


CIDADES

Mulher é presa com droga em mamadeira em Chapada

Publicados

em

A Polícia Militar prendeu uma mulher de 24 anos por tráfico ilícito de entorpecentes, na tarde de quinta- feira(16), em Chapada dos Guimarães. Com a suspeita, os policiais apreenderam 79 porções de pasta base de cocaína em uma mamadeira infantil, R$ 669, uma faca com soco inglês.

Por volta das 16h10, os policiais receberam uma denúncia anônima de que havia uma mulher vendendo drogas na Rua Thomé Fontes. A PM foi até o local, a suspeita foi localizada, a mulher ao perceber a presença da polícia, dispensou no chão três porções de drogas e entrou uma casa.

A PM entrou no imóvel e abordou a mulher. Na casa, os policiais encontraram 69 porções de pasta base de cocaína dentro de uma mamadeira infantil, R$ 669 e uma faca com soco inglês. A suspeita assumiu que vende entorpecentes e que é a dona do material apreendido.

A suspeita recebeu voz de prisão e foi conduzida à delegacia. Os policiais identificaram que a mulher detida já tem passagem criminal por tráfico de entorpecentes. A ocorrência foi entregue à Polícia Judiciária Civil.

Leia Também:  Homem foi preso empinando moto em Nova Marilândia

Foolhamax

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CIDADES

Ação que cobra ressarcimento do ex-prefeito de Acorizal foi suspensa

O processo contra o ex prefeito de Acorizal ficará suspenso até que o STJ defina tese sobre adoção de medidas executivas, que foi requerida pelo MPE nos autos

Publicados

em

Por

Meraldo Sá

Por Lucielly Melo – Ponto na Curva

A juíza Célia Regina Vidotti, da Vara Especializada em Ações Coletivas, determinou a suspensão da ação que cobra do ex-prefeito de Acorizal, Meraldo Sá, ressarcimento ao erário por utilizar verba pública para se autopromover.

A decisão foi publicada nesta quinta-feira (19).

Trata-se de cumprimento de sentença de uma ação que pediu a devolução de R$ 3.650,00, que foram utilizados por Meraldo quando esteve à frente da Prefeitura de Acorizal. Segundo o MP, ele usou ilegalmente o dinheiro do erário para promover uma revista, no ano de 2007, na qual foram publicados conteúdos que exaltaram as realizações pessoais e políticas do então prefeito, que visaram a promoção da sua imagem.

Porém, o processo está em fase de cumprimento de sentença há mais de cinco anos, conforme observado pela magistrada. E, durante esse período, diversas buscas de bens e tentativas de penhora foram executadas, mas sem sucesso.

Diante da situação, o MP pediu a adoção de medidas executivas, como a apreensão da CNH e passaporte do ex-prefeito. Porém, o assunto é objeto de julgamento no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que determinou a suspensão de todos os processos que tratam da matéria, até que uma tese seja definida.

Leia Também:  Presidente da Câmara Municipal Amilson solicita do Executivo a realização do concurso público Municipal.

“Desta forma, deixo de apreciar o pedido de imposição de medida executória atípica e, não havendo nenhum outro pedido, atendendo ao que foi decidido no REsp1.955.539, suspendo o trâmite desta ação até posterior decisão do Superior Tribunal de Justiça”.

VEJA AQUI A DECISÃO: 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

MATO GROSSO

POLICIAL

POLÍTICA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA

Add this code where the ad should appear:
Add this code before the tag: