conecte-se conosco


MATO GROSSO

Mato Grosso é o terceiro Estado que menos vacinou contra a Covid-19 no Brasil

Publicados

em

Levantamento feito pelo Consórcio de veículos de imprensa, a partir de dados das Secretarias Estaduais de Saúde do país, mostram que Mato Grosso é o terceiro estado que menos vacinou (proporcionalmente) contra a Covid-19. A unidade da federação só perde para Rondônia e Pará.

O Estado que menos vacina é Pará, que tem apenas 3,43% dos seus habitantes protegidos contra a Covid-19. Na sequência, aparece Rondônia, com somente 3,57% e, por fim, Mato Grosso, com 3,78% da sua população imunizada contra o coronavírus.

Em Mato Grosso, segundo o Consórcio, 133.322 pessoas receberam a primeira dose e 57.725 a segunda. O Estado que mais vacinou foi o Amazonas, com 9,55% da sua população. Vale lembrar que ele recebeu doações de outras unidades da federação, quando passava por um pico e, consequentemente, teve mais doses proporcionais.

No país todo, o total de 12.351.559 vacinados que receberam a primeira dose equivale a 5,83% da população brasileira. Os dados foram atualizados na noite da última segunda-feira (22).

Mato Grosso chega a um dos piores momentos da pandemia de Covid-19 e registra, nesta segunda-feira (22), 125 mortes pela doença em apenas 24 horas. O boletim foi divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) no final da tarde desta segunda-feira (22). Agora, o Estado se aproxima das sete mil pessoas que perderam a vida para o vírus.

Leia Também:  Governo de Mato Grosso vai regularizar 15 mil moradias urbanas em Várzea Grande

No último domingo, eram 6.813 óbitos registrados pela Secretaria de Saúde. Porém, nesta segunda-feira, o número de mortes subiu para 6.938.

Com o fechamento destes novos dados, Mato Grosso ultrapassa o recorde negativo da segunda-feira passada (15), quando 86 pessoas perderam a vida para a Covid-19. Naquele dia, o total de óbitos no Estado era de 6.456.

Vacinas

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) participou, nesta segunda-feira (22), da assembleia de instalação do Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras (Conectar). A intenção é adquirir, por meio do consórcio, 20 milhões de doses ainda no primeiro semestre de 2021, que devem ser distribuídas para mais de 2,6 mil municípios.

De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Cuiabá, a proposta de constituir um consórcio público para aquisição de vacinas, medicamentos, insumos e equipamentos ligados à saúde está fundamentada na Lei nº. 11.107/2005. De acordo com o PNI, em vigência desde 1973, a obrigação de adquirir imunizantes para a população é do governo federal. No entanto, diante da situação de extrema urgência em vacinar brasileiros e brasileiras para a retomada segura das atividades e da economia, o consórcio público, amparado na segurança jurídica oferecida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), torna-se uma possibilidade de acelerar esse processo.

Leia Também:  Governo abre chamamento público para asfaltar trecho da MT-129 em Gaúcha do Norte

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ajuizou uma ação permitindo que estados, Distrito Federal e municípios pudessem comprar e fornecer vacinas contra a COVID-19 à população. No dia 23 de fevereiro, o STF proferiu sentença favorável ao pedido. A autorização para a aquisição de imunizantes e insumos foi admitida nos casos de descumprimento do PNI ou de insuficiência de doses previstas para imunizar a população.

Fonte: Olhar Direto

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO

Polícia Civil prende integrantes de associação criminosa e apreendem armas de fogo, drogas e munições

Publicados

em

Por

Quatro integrantes de uma associação criminosa foram presos pela Polícia Civil, na sexta-feira (01.07), na zona rural de Cáceres (225 km a oeste de Cuiabá), durante investigações continuadas para apurar o duplo homicídio ocorrido no município. 

A ação resultou na apreensão de duas armas de fogo, várias munições e porções de maconha. Os envolvidos foram autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, associação criminosa e para o tráfico de drogas.

Nas diligências, os policiais civis da 1ª Delegacia de Polícia, por meio da Divisão de Homicídios, identificaram uma propriedade rural usada pelos suspeitos para planejar os crimes e para se esconderem.

Diante das informações, a equipe foi até o local e, ao se aproximarem, perceberam a presença de alguns indivíduos, que fugiram para dentro de uma área de mata. No interior do imóvel, foram encontradas as armas de fogo, munições, uma tornozeleira eletrônica e porções de maconha.

Na casa também havia uma mulher e uma criança. Um dos presos possui passagem pelos crimes de sequestro, cárcere privado, furto, roubo, corrupção de menores, tráfico de drogas, receptação e lesão corporal. 

Leia Também:  Operação Lei Seca prende oito pessoas por embriaguez ao volante na Capital

Os suspeitos foram autuados em flagrante por tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, associação criminosa e associação para o tráfico de drogas. Após a confecção dos autos, eles foram colocados à disposição da Justiça.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

MATO GROSSO

POLICIAL

POLÍTICA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA

Add this code where the ad should appear:
Add this code before the tag: