conecte-se conosco


MATO GROSSO

Cursos de Mediação de Conflitos Escolares serão lançados nesta segunda (06)

Publicados

em

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT) e Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) realizam, nesta segunda-feira (06), às 14h, no auditório das Promotorias de Justiça de Cuiabá, o lançamento dos cursos de Mediação de Conflitos Escolares e Facilitadores de Círculos de Construção de Paz. O evento é destinado a gestores das unidades escolares dos municípios de Cuiabá e Várzea Grande. A discussão ocorrerá de forma híbrida, com transmissão ao vivo pelo canal do MPMT do Youtube.

De acordo com a programação, além do lançamento dos cursos, ocorrerão palestras com a participação de representantes dos órgãos envolvidos. Entre eles, a desembargadora Clarice Claudino da Silva, presidente do Núcleo Gestor da Justiça Restaurativa (Nugjur); o desembargador Mário Roberto Kono de Oliveira, presidente do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec); e o procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges Pereira.

Também participam do evento, o secretário de Estado de Educação, Alan Resende Porto; o coordenador do Nugjur, juiz Túlio Duailibi Alves de Souza; a coordenadora do Nupemec, juíza Cristiane Padim da Silva; o promotor de Justiça Miguel Slhessarenko Júnior; a gestora do Cejusc de Primavera do Leste, Marina Soares Vital Borges; e a secretária-adjunta de Gestão Regional da Seduc, Alcimaria Ataídes da Costa.

Leia Também:  Em 4 anos, STF gastou R$ 80 milhões com segurança e vigilância armada

O novo curso de Solução de Conflitos Escolares qualifica professores, coordenadores e diretores de escolas públicas estaduais para usar técnicas de mediação e círculos de construção de paz, para solucionar conflitos como indisciplina, violência e intolerância nas unidades de ensino. A iniciativa é uma parceria do MPMT, TJMT e Seduc.

O primeiro termo de cooperação técnica para realização da capacitação, ainda como projeto-piloto, foi assinado em 2017. Posteriormente, foram formalizados dois aditivos, sendo o último assinado em agosto de 2020. Contudo, em razão da pandemia da Covid-19 e a consequente suspensão das aulas, o curso não ocorreu.

Para 2022, a ideia é ampliar o projeto para todo o estado e para as escolas da rede pública municipal de Cuiabá e de Várzea Grande. Nas outras duas edições do curso, 44 profissionais da educação foram certificados.

Com assessoria do MPE-MT 

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MATO GROSSO

Seduc realiza em Cuiabá 1º Fórum Estadual de Educação Indígena

Publicados

em

Por

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) realizou, nos dias 28 e 29 de junho, no Hotel Fazenda Mato Grosso, em Cuiabá, o 1º Fórum de Educação Escolar Indígena. Organizado pela Secretaria Adjunta de Gestão Educacional (SAGE), Superintendência de Diversidades (SUDI) e Coordenadoria de Educação Escolar Indígena (COEI), teve o propósito de deliberar, junto à comunidade, as necessidades relacionadas a Educação Indígena em Mato Grosso.

O evento contou com representantes das Diretorias Regionais de Educação (DREs), Conselheiros de Educação e diretores escolares da gestão administrativa e pedagógica das escolas indígenas. No encontro, foram deliberadas as ações de Políticas Públicas para a Educação Indígena, que atenda as especificidades das etnias e os seus mais de 12 mil alunos que frequentam as 70 escolas de educação indígena no estado.

Em um dos principais painéis, foi realizada a apresentação e análise de Avaliação Diagnóstica referente a 2021, pelo coordenador de Educação Escolar Indígena, Lucas de Albuquerque Oliveira, e pelo técnico pedagógico da Seduc, Samuel Chaves. Eles debateram os Modelos de Atendimento Educativo para Educação Escolar Indígena e o papel das DREs na Gestão Administrativa e Pedagógica das Escolas Indígenas.

Para Lucas de Oliveira, este é o momento de proposituras da Educação Escolar Indígena. “O Fórum Estadual é um momento ímpar para as nossas escolas, por meio das lideranças e diretores em todo o estado. Eles vieram de longe para trazer a realidade e aperfeiçoar o atendimento da Educação Escolar Indígena’’, pontuou.

Leia Também:  Exportações de Mato Grosso crescem 55,4% entre janeiro e fevereiro de 2022

O presidente do Conselho Estadual de Educação Escolar Indígena (CEEEI), Filadelfo de Oliveira Neto, da etnia Umutina, do município de Barra do Bugres, falou sobre a importância do Fórum e dos temas a serem pautados em prol da comunidade. “Buscamos dialogar sobre a formação continuada para nossa comunidade escolar e precisamos que nossas crianças tenham acesso a um conhecimento de qualidade. Entendemos que a realização do Fórum é fundamental para o avanço na Educação Escolar Indígena no nosso Estado’’, afirmou.

O secretário de Estado de Educação, Alan Porto, afirmou que a realização do evento é um ato importante para Educação Pública em Mato Grosso, diante da grande comunidade educacional que engloba. “Estamos realizando o 1º Fórum Estadual de Educação Escolar Indígena para discutir políticas públicas, infraestrutura, tecnologia e, principalmente, a questão pedagógica e a valorização do profissional da Educação’’.

Segundo o secretário, o balanço das ações e investimentos tem sido substancial em relação aos últimos 10 anos, tendo em vista o aumento de mais de 10% em investimentos na qualidade, infraestrutura, tecnologia, materiais e valorização do profissional na comunidade. Além disso, outros valores importantes, e destacados na gestão, são o acesso, permanência e aprendizagem dos alunos, pontos fundamentais para o desenvolvimento.

Leia Também:  Hospital Regional de Rondonópolis reabre 13 leitos de enfermaria na segunda-feira

Para Alan Porto, é importante ouvir cada um dos presentes e permanecer à disposição, respeitando a cultura e o contexto histórico. ‘’Esta gestão trata a Educação Escolar Indígena de forma responsável, com o objetivo de ouvir cada um dos representantes e fazer com que essas políticas tenham representatividade’’, completou. 

O diretor da Escola Estadual Indígena Tapirapé, Rael Xakoiapari, disse que o encontro é o momento propício para falar sobre o destino da Educação Indígena, a fim de fortalecer o ensino de acordo com a constituição e todo o amparo necessário. ‘’O momento é ideal para colocar o nosso anseio, dialogar, debater e levar um retorno positivo para nossa comunidade’’, disse em um gesto positivo de apoio.

O superintendente de Assuntos Indígenas da Casa Civil, Agnaldo Santos, ponderou sobre o quão essencial é participar dos debates e escutar a comunidade indígena. “É importante dizer que temos um governador como Mauro Mendes e uma primeira-dama como Virginia Mendes, que realmente têm se dedicado às causas indígenas em Mato Grosso’’, finalizou.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

MATO GROSSO

POLICIAL

POLÍTICA

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA

Add this code where the ad should appear:
Add this code before the tag: